Videos do Palavras Impossíveis

Loading...

Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Querido diário I


Ainda não sei o que dizer nem como dizer.



Minha vida mudou de repente e tenho medo de nunca mais ser a mesma que outrora fora...


"Cada um de nós compõem a sua história e cada ser em si carrega o dom de ser capaz, de ser feliz..."


Esta assertiva tem me feito pensar na responsabilidade que temos em cuidar da nossa própria vida e fazer dela um lugar comum a nós mesmos.

Tenho observado que muitos não têm feito de suas vidas o SEU lugar comum...

A vida passa e as pessoas não se dão conta de que são "donos" dela e que é preciso viver!

E essa busca desenfreada pela FELICIDADE acaba confundindo o que realmente é felicidade e o que são sombras de felicidade, miragem dela...

Há uma música que diz que "quem tem amor na vida, tem sorte... E na fraqueza sabe ser bem mais forte..." Não sei se acredito mais em toda essa coisa de AMOR, romance, final feliz.

O que eu tenho visto são pessoas à margem da sociedade, vivendo uma vida louca, indignamente, mendigando o pão ou separando brigas dentro de casa...

Ai, me pergunto: isso é vida?

E a resposta vem de imediato...

SIM!

Há vida mesmo na infelicidade dela.

E ai, eu penso: devo queixar-me da vida?

A verdade é que NÃO.

Deus tem sido muito amável e bom comigo. Mas, não sei explicar.. Algo me perturba, me deixa mal, me torna incovinientemente desconfortável e eu não consigo encontrar, finalmente, um motivo que justifique tudo isso.

Ando calada, pessoa de poucos amigos, que age de uma forma e pensa de outra. Isso é normal?

Mas, o que é normal hoje em dia?

Que tipo de valores, conceitos posso julgar como "normais"?

Os meus?

Não seria muita petulância minha julgar como correto apenas o que eu acho?

Mas, pra viver não deve prevalecer o que eu acho, uma vez que a vida é MINHA?

Mas, a vida é MINHA mesmo ou DEUS deu para que eu cuidasse?

E DEUS? Como será que Ele vê a minha geração? Como Deus me vê?


Eita!


Que pergunta crucial.


COMO DEUS ME VÊ?


Boa pergunta...


Farei a Ele.



Querido Diário I. By Tali Mota



3 comentários:

  1. Grande Texto Digno de ser publicado no Brasil Todo!!! Nas melhores livrarias!!
    Adorei perfeito d+ a frase q mas me chama atenção é : Mas sera q a vida é minha mesmmo? Ou sera q Deus me deu pra q eu cuidasse?

    ResponderExcluir
  2. Minha querida, ñ só a sua vida, mas a de todos nós vive uma sempre mudança. E que bom é assim...como disse o pensador "prefiro ser essa metamorfose ambulante..." só quem ñ muda é Deus, pois nele ñ há mudança, nem sombra de variaçao. Nós mudamos porque precisamos mudar, todos os dias, rever conceitos, atitudes enfim. Como Deus te vê? como uma filha amada, que Ele cuida todos os dias, protege, ampara, livra dos males, prover as necessidades, entende as leviandades, as fraquesas, vê as lágrimas, a infantilidade e continua te amando e se importando com vc, sendo o que Ele é, apesar de vc ser como é. Ele te ama! creia nisso sempre. E eu também te amo! muitoooooooooooooooooooooo

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei muito com esse texto que vc escreveu.
    Ás vezes não há nada de errado comigo, todos da minha família estão saudáveis, mas há alguma coisa que me afaga aqui dentro que nem eu mesmo sei dizer o q é... considero como uma insatisfação de algo, talvez da forma de vida pela qual muitas pessoas do mundo se submetem.

    Quanto a busca da felicidade, sempre busquei a minha, mas nunca impus um limite a isso, quero ser cada vez mais feliz para ver se um dia me sentirei totalmente satisfeito.

    Seguindo seu blog lógico! rsr
    Abraço!

    ResponderExcluir